Entrevista com Personal Trainer Pedro Ribeiro

Pedro Ribeiro é Personal Trainer e dedica a sua vida a guiar as pessoas em saúde e bem-estar. A sua paixão por educação física iniciou-se ainda em criança, o que o levou a estudar essa área e a adquirir uma longa e variada experiência em treino e motivação.

Para além de ser eficiente, focado e positivo, o Pedro é um exemplo da própria filosofia que partilha com os seus clientes. É muito inspirador encontrar profissionais apaixonados pela sua arte e, nesta entrevista, o Pedro partilha o seu percurso e a sua visão.

 

1 – O que te apaixona em Personal Training e o que te motivou a enveredar por esta área?

Desde muito novo (10/11 anos) que tinha o sonho e objectivo de ser Professor de Educação Física. Muito por ter tido um professor que me marcou imenso no ensino preparatório e por sempre ter sido um praticante de todos os tipos de desportos.

Terminei a licenciatura na área em 2005 e de imediato comecei a dar aulas nas AEC´s do 1º Ciclo ao mesmo tempo que trabalhava como Preparador-Físico no Clube Hóquei dos Carvalhos. Ao fim de quatro anos consegui colocação no ensino público e andei com a “casa às costas” durante uns tempos, tendo leccionado em Lisboa, Évora e Arouca. Esta falta de estabilidade levou-me a optar por deixar o ensino em stand-by e foi aí que surgiu o Fitness. Fui seleccionado para o Corporate Gym da EDP Porto (onde ainda hoje me mantenho) e, paralelamente, trabalhei ainda em ginásios como o UrbanFit Gaia e FitnessHut.

Hoje não me vejo a voltar tão cedo ao ensino, para ser sincero, por dois factores: a instabilidade e falta de condições que os professores em Portugal têm e a possibilidade que o Fitness me dá de fazer a diferença na vida de outras pessoas. Ser Personal Trainer é muito mais que prescrever e orientar um treino. É muito recompensador saberes que tens um lugar especial e marcante na vida de alguém, saberes que fizeste a diferença e mudaste a vida de uma pessoa para melhor, saber que és merecedor da confiança cega de outra pessoa em ti e no teu trabalho. Não há dinheiro que pague isso.

2 – Quais são os principais pontos a focar numa rotina de saúde e bem-estar?

Três pontos essenciais: alimentação, exercício físico e descanso. O mais importante, sem dúvida, é comer bem. Não gosto de usar o termo dieta porque as pessoas associam-na a comer pouco ou mesmo deixar de comer.. Não! EQUILÍBRIO é a palavra-chave. Não deixar de comer o que se gosta mas tem de haver um controlo nas quantidades. Claro que evitar alimentos processados, açúcares e fritos é importante, mas o equilíbrio é fundamental. O desporto e as actividades físicas ocupam também um papel fulcral. O sedentarismo e a obesidade são as doenças do séc. XXI. As pessoas têm de se mexer! Quanto mais não seja aproveitar a nossa costa e o nosso sol e fazer uma caminhada duas ou três vezes por semana. Os ginásios são centros de saúde e bem estar mas podemos fazer exercício em qualquer lado, basta ter imaginação, orientação e vontade! Por fim, uma boa noite de sono! Dormir no mínimo 6 horas para que o nosso corpo e organismo tenha tempo de carregar baterias e restabelecer o equilíbrio!

 

3 – Qual o papel do Personal Trainer na mudança de paradigma e na garantia de atingir os objectivos de cada indivíduo?

A grande vantagem de treinar com um Personal Trainer é o compromisso, na minha opinião. Claro que há outras importantes como a orientação, segurança e motivação, mas o compromisso acho que é a maior vantagem. Muitas pessoas que me procuram nunca fizeram exercício de forma regular na vida. Pessoas com 50, 60 anos. Ora, nós somos criaturas de hábitos. E é muito difícil quebrar certos hábitos e rotinas. Por isso, nada melhor que haver um compromisso. Por exemplo: a pessoa acorda cedo e apetece-lhe estar mais um pouco na cama… Mas pelo facto de saber que tem um compromisso, alguém (a quem pagou) à espera dela, vai fazer com que vá ao treino (seja ele no ginásio ou outdoor) mesmo que a vontade seja pouca. Esse compromisso leva á consistência e esta ao sucesso, ou seja, quem treina de forma regular duas ou três vezes por semana e, ainda por cima, com uma orientação específica e individualizada (de treino e nutrição) vai estar sempre mais perto de atingir os seus objectivos.

4 – Quais as principais diferenças e desafios entre treinar uma pessoa individual ou treinar um grupo de pessoas?

Num grupo de pessoas vamos sempre ter especificidades diferentes, sejam elas patológicas, fisiológicas ou motivacionais. Temos de estar alerta, fazer uma boa preparação e gestão e ir ao encontro de todas elas, sem pôr em causa, em momento algum, a integridade física de ninguém. Numa sessão individual é completamente diferente. Em função de uma avaliação prévia e dos objectivos delineados será sempre feita uma prescrição e orientação específica, tendo em conta “aquela” individualidade.

 

5 – Quais as principais dificuldades que notas que a pessoa média sente no que toca a saúde e bem-estar quando procura acompanhamento pessoal? O que recomendas para ultrapassar esses desafios?

Quem procura um Personal Trainer procura acima de tudo motivação e orientação. Por falta de cultura de hábitos saudáveis há necessidade de um primeiro “empurrão”. Comparo muitas vezes o processo de treino à entrada na Escola Primária. A esmagadora maioria das pessoas conhecem o exercício X, mas não sabem executá-lo nem onde aplicá-lo correctamente.. Um bom Personal Trainer fornece as ferramentas (sejam elas técnicas ou motivacionais) para que ao fim de 3/4 meses um indivíduo esteja habilitado e pronto a treinar sozinho, se for essa a sua opção. A minha recomendação é: não avaliar um profissional por quanto ele vale, mas pelo que ele vale.

6 – De que forma é que a prática de Pilates ou de exercícios mais suaves como Qi Gong são bons complementos a treinos mais activos e intensivos?

Estando eu ligado ao Pilates, obviamente que recomendo a todos fazerem aulas da modalidade ou, pelo menos, experimentarem. Engane-se quem pensa que é preciso muita flexibilidade ou mobilidade para fazerem uma aula. O objectivo do Pilates é precisamente trabalhar e melhorar essas valências. Como a respiração tem um papel fundamental, esta e a circulação sanguínea são melhoradas o que proporciona maior vitalidade e reduz ainda os níveis de stress e ansiedade. Depois, temos todos os benefícios físicos como a melhoria postural e da densidade óssea, alivio nas dores de costas, etc. Costumo dizer que o Pilates primeiro estranha-se, e depois entranha-se. Experimentem!

 

7 – Qual é a tua rotina pessoal de saúde e bem-estar?

Para começar, tenho uma alimentação equilibrada. Privilegio os grelhados, e em todas as refeições faço por ter uma boa fonte de proteína. Como de 3 em 3 horas e bebo muita água! Ao Domingo, por ter mais tempo livre, permito-me comer o que normalmente sei que não devo comer, mas é uma estratégia de manter-me mentalmente são. Tento treinar 3 vezes por semana, fazendo uma mistura de trabalho cardio e força. Faço por dormir bem, deito-me relativamente cedo e há muito que me deixei de noitadas em discotecas e bares. Faço o que gosto e tenho perto de mim quem eu gosto, e isso é muito importante para o meu equilíbrio.

 

Gostou deste post? Foi útil para si? Partilhe nas suas redes sociais!

Gostaria de contribuir para o crescimento do Skin at Heart? Visite o Donorbox.

Para receber informação exclusiva visite o Patreon.

Deixar uma resposta