Óleos Essenciais para a Casa Stark

A Casa Stark é uma das mais icónicas de toda a série e a primeira com a qual o leitor estabelece conexão imediata. As personagens principais são desta Casa e há um sensação geral de honra e de fazer o que está certo associada a eles desde o primeiro momento. A introdução dos lobos na história, tendo em conta que a Casa Stark é representada pelo lobo, foi um toque de génio que deliciou as audiências por todo o mundo. Vamos ver como os óleos essenciais podem servir a Casa Stark:

 

Ned Stark

Quando eu comecei a ler os livros, eu já sabia o que estava a chegar, porque eu sei bem o que acontece sempre ao Sean Bean. Até fiz umas piadas com os meus amigos que viam a série a propósito disso, sendo que mais tarde eles me confirmaram. Devo dizer que esse foi um dos meus maiores desgostos, saber desde o início o que iria acontecer no final do primeiro livro e, mesmo assim, ao lê-lo eu senti-me tão incrédula como qualquer outro leitor.

Ned Stark parece ser um homem de honra! E, de certa forma, ele é. A sua intenção é fazer sempre o que está certo em todos os momentos. Mas, é exatamente isso que acaba por o cegar, tornando-o incapaz de ver a estratégia daqueles que não são guiadas pelo seu código de honra. Ele poderia ter facilmente evitado que aconteceu se não tivesse subestimado os Lannister, especialmente a Cersei (mas afinal quantas personagens podem dizer o mesmo de Cersei?).

Apesar de Ned ser um homem de honra, é necessário dizer que ele não teve a melhor atitude quando viu Jaime Lannister sentado no trono, afinal, ele nunca lhe perguntou o que aconteceu ali e porquê que ele tinha assassinado o Rei Louco, o que acabou por dar a Jaime a reputação de regicida e homem sem honra. A maneira como Ned lidou com a toda a situação de Jon Snow é também questionável. Claro que ele não sabia o que aí vinha e estava a agir em boa fé para preservar a segurança do rapaz. No entanto, em um certo momento, ele poderia ter compreendido que viver com essa mentira seria pior do que dar ao rapaz a verdadeira história (e ao Reino o seu verdadeiro herdeiro). Outra coisa mencionada nos livros é que uma das Mormont se suicida depois de ouvir que o Ned tomou o lugar do seu irmão para honrar o compromisso com a Casa Tully, casando com Catelyn, o que pressupõe que ele escolhe o dever em vez do amor, pondo a honra da Casa primeiro. Isto é alguém que parece agir com um elevado sentido de dever e honra, mas a que preço? Depois, ao tomar Jon como seu, ele protege-o criando uma situação desconfortável para a sua esposa, Catelyn, que sempre teve uma enorme dificuldade em aceitar o rapaz.

É claro que a vida de Ned foi recheada de escolhas difíceis. O Eucalipto é o óleo essencial do bem-estar e tem um aroma medicinal que é poderoso quer ao nível físico, quer ao nível emocional. Este óleo apoia os indivíduos a curarem-se, permitindo que se sintam bem e livres, algo que poderia ser útil para Ned que foi um prisioneiro de mentiras toda a sua vida.

 

Catelyn Stark

Catelyn estava prometida a Brandon Stark, o irmão mais velho de Ned. No entanto, quando o Rei Louco o matou, juntamente com o Pai, Ned tomou a promessa de união com a Casa Tully como sua. Apesar de tudo, eles parecem ter tido um casamento feliz e há uma certa cumplicidade no casal ao longo de todo o primeiro livro. À medida que os eventos se desenrolam, a história torna-se demasiado grande e a Katelyn não consegue proteger os seus filhos da guerra dos tronos. Apesar de todos terem ficado surpreendidos com os eventos do Casamento Sangrento, eu devo confessar que eu estava à espera, porque no livro, a Catelyn refere-se sucessivas vezes ao Lord Frey como difícil e orgulhoso, por isso ir lá depois de tudo parece não só perigoso, mas até estúpido (apesar de poder parecer que não têm outra escolha possível).

Eu acredito que um óleo que poderia ter sido útil para Catelyn seria o óleo essencial de Limão, o óleo da concentração, que ajuda a ter clareza mental, ser racional e ficar alerta à medida que mantém os níveis de alegria e energia elevados. A Catelyn sofreu muitas dificuldades e ter este óleo ao seu lado poderia ter sido um precioso aliado.

 

Robb Stark

Nos livros, nunca sabemos muito sobre Robb, pois esta personagem não tem capítulos como muitos dos outros Stark. Dados os eventos, dá a sensação que Robb é um romântico que acreditava mesmo que o amor o poderia salvar do mal. Mais uma vez, ir até à Casa de Walder Frey depois de uma ofensa tão grave não parece ser a coisa mais inteligente do mundo, mesmo parecendo não haver outra opção. 

Patchouli é um óleo que assiste as pessoas a estarem presentes, centradas. Dá equilíbrio e estabilidade. Poderia ter sido útil para Robb antes de ele ter feito as escolhas que fez.

 

Sansa Stark

Este é o protótipo de uma senhora que é incapaz de fazer seja o que for por si própria e que foi educada para ter sempre a alguém a fazer tudo por ela, incluindo a dizer-lhe como tem de pensar. Sansa começa numa posição muito frágil – ou ela é colocada numa posição muito frágil – mas ela é capaz de adquirir força à medida que a história se desenrola. Sansa tem uma elevada educação relacionada com as funções que tem de prestar e o papel que vai adquirir o que lhe dá uma desapego geral relativamente ao nome da sua família que é expressado durante a primeira parte da história. Basicamente, ela é atirada aos lobos e acaba por aprender através da interação e observação de pessoas como Cersei, Mindinho e Ramsay Bolton. Ela também aprende com Lady Olenna, Tyrion e Margaery. Todos têm um papel significativo na crescente sensatez de Sansa. O seu aparente desapego perante a sua Casa muda dramaticamente à medida que ela toma Winterfell de volta e, sobretudo, quando se reune novamente com Arya. A Sansa começa finalmente a demonstrar a líder poderosa que pode ser e todas as lições que aprendeu através das dificuldades que se viu obrigada a atravessar.

Jasmim é um óleo delicado que representa pureza e equilíbrio, que apoia na resolução de trauma, especialmente trauma sexual e que encoraja confiança e segurança. Portanto, o Jasmim assentaria em Sansa que nem uma luva.

 

Arya Stark

Arya é o oposto de Sansa. Visto que nunca teve uma educação formal, ela sente-se muito mais ligada ao Legado da Casa Stark e ela enfrentou um grande desafio ao estar completamente sozinha e acreditando que ela era o último dos Stark. A sede de vingança levou-a a tornar-se uma assassina e uma poderosa guerreira, após ter sido submetida a um treino violento. A sua interminável lista de nomes foi repetida vezes e vezes sem conta nos capítulos dos livros e na série de TV ela serviu uma das melhores vinganças de sempre (olá Walder Frey!) apenas comparável à destruição do Alto Septão por Cersei. A Arya é também muito inteligente e aprende rápido.

Lavanda é o mais versátil dos óleos essenciais, conhecido como o óleo da comunicação, assiste os indivíduos em todo o tipo de expressão e liberta todo o tipo de tensão e constrição. A Lavanda também representa honestidade emocional e abertura e encoraja o indivíduo a libertar-se da prisão a que se auto-infligiu. A Lavanda convidaria Arya a relaxar e a ser mais expressiva verbalmente, dando-lhe, portanto, alguma merecida serenidade depois de tudo o que ela passou.

 

Bran Stark

O Bran é apenas um miúdo quando tudo começa e é com grande choque que o leitor é confrontado com a sua queda (uma pessoa até pensava que nunca iria perdoar ou compreender Jaime Lannister naquele momento ignóbil em que a sua mente parece ter perdido a cabeça). Bran torna-se menos e menos emocional ao longo de toda a história e ele é agora desapegado de tudo e de todos, tornando-se uma fonte de conhecimento e informação, o que significa que ele tem uma visão total e intemporal do mundo. Poderia dizer-se que o Bran já não é o Bran, que ele se tornou uma entidade que habita no corpo de Bran.

O óleo essencial de Baga de Zimbro é o óleo da noite, assistindo aqueles que temem o escuro ou os aspectos escondidos de si próprios, ajudando a pessoa a compreender que todas as coisas que teme são os seus maiores professores. O óleo de Baga de Zimbro seria portanto perfeito para Bran e, eu até diria que, é exatamente esse aroma que Bran exala!

 

Jon Snow

Este é o típico herói da história, começando como um tipo injustiçado e com um papel menor, mas que rapidamente se torna central para toda a trama. E, tal como a Daenerys, também Jon tem uma evolução massiva ao longo dos livros.

Jon sempre foi um ser humano honrado e isso é nitidamente claro, à medida que o conhecemos através das suas ações que nos livros, quer na série. Ele acaba por ir parar à Muralha, sem compreender bem porquê que tudo aquilo aconteceu, mas de alguma forma tentando viver à altura do que esperam dele, enquanto olha com admiração para o seu Pai Ned e o seu Tio Benjen (que inicialmente Jon pensa que terá por perto, visto que também ele é um dos “corvos”). Ele faz amizade com alguns dos seus colegas, especialmente com Sam. Eu achei comovente quando todos eles prestam o juramento, tal como gostei imenso da conexão que ele desenvolve com o Lord Comandante Jeor Mormont, sobretudo quando ele lhe dá a espada de aço Valiriano da Casa Mormont. Neste ponto, já se tornava claro que a vida a que Jon se rendia para viver teria muito mais do que vigílias intermináveis.

A ruiva “beijada pelo fogo” Ygritte foi o primeiro amor de Jon, mas – mais do que isso – Ygritte era uma selvagem que vivia em força e em honra. Os eventos que se passaram de seguida iriam toldar a visão de Jon para sempre e empurrá-lo-iam a compreender que as divisões que nós criamos existem sobretudo na nossa cabeça. 

A partir daí, uma série de acontecimentos tomou lugar e o Jon desenvolveu-se quer como ser humano quer como líder, tornando-se o ser humano mais adequado para liderar não só os homens da Vigília Nocturna, mas também exércitos inteiros e talvez até todo o Reino. Ele foi declarado Rei no Norte sem pedir esse título, porque as pessoas compreenderem não só que ele era o herdeiro legítimo, mas que era o homem mais adequado para os liderar. Jon não foi criado para ser um governante, apesar de seguir de perto o seu Pai Ned Stark e o herdeiro directo da Casa Stark Robb. Isso demonstra também porquê que a sua principal prioridade é restaurar a segurança do reino. Quando ele descobre a sua verdadeira origem ele parece simultaneamente chocado e incrédulo, não só pelo que isso representa, mas sobretudo pelo que ele acreditou toda a sua vida, incluindo a sua relação com aquele que ele pensava ser o seu Pai. Ele está também preocupada com Daenerys, não só pela relação que mantêm, mas – acima de tudo – porque ele sabe que todo o percurso dela, todas as dificuldades, toda a bravura, toda a determinação levam-na até ao Trono de Ferro. Vamos ver como é que isto vai evoluir, pelo menos no que toca à série de TV, pois quanto aos livros, tanto quanto sabemos agora, o Jon Snow poderá estar morto…

Gengibre é o óleo do empoderamento, que convida a pessoa a estar totalmente presente e ativamente participar na vida. O Gengibre também trata padrões de mentalidade de vítima, desbloqueando a sensação de se sentir preso. Este óleo essencial empodera indivíduos para que tomem a responsabilidade das consequências quer das suas ações, quer das suas não ações. Por todas estas razões, Jon Snow ou Aegon Targaryen beneficiaria grandemente do óleo de Gengibre a instituí-lo do seu verdadeiro propósito.

 

Samwell Tarly

Sam é um ser humano com uma natureza gentil que cresce no leitor. A primeira vez que o vemos é na Muralha, incapaz e sem vontade de fazer o que quer que seja por si próprio, especialmente as tarefas que são esperadas dele em tal lugar. Essa fraqueza é imediatamente protegida por Jon e ambos desenvolvem uma profunda amizade, especialmente quanto Jon não é colocado na divisão que ambicionava, momento em que é Sam que vem em seu socorro e o ajuda a mudar a sua percepção dos acontecimentos. O Sam é muito inteligente e ele ganha autoconfiança ao longo de todo o desenrolar da trama. É fácil de ver, mesmo antes de Sam visitar a Cidadela, que ele seria um excelente Maester, simultaneamente poderoso e bondoso. Eu achei especialmente tocante a conexão que Sam desenvolveu com o Lord Comandante Jeor Mormont e com o Maester Aemon, também adorei quando ele salvou Jorah Mormont e, finalmente, quando Sam deu a Jorah a espada de aço Valeriano da Casa Tarly antes da guerra com a escuridão. 

Funcho é conhecido como o óleo essencial da responsabilidade e apoia o indivíduo que tem uma fraca sensação de si próprio. Apesar de esses dias estarem longe idos para Sam e ele ter percorrido um longo caminho de auto-valorização e amor próprio, esse óleo teria instituído a paixão pela vida em Sam assegurando-o de que nada é demasiado grande ou excessivo para as nossas capacidades. O Funcho encoraja os indivíduos a viverem em integridade consigo próprios, independentemente dos julgamentos dos outros, que é exatamente o que Sam faz. Também serve especialmente aqueles que se sentem ou se sentiram paralisados pelo medo ou pela vergonha, fazendo com que seja o companheiro ideal para Sam ter consigo ao longo de toda a série.

 

Theon Greyjoy

Uma das personagens mais odiadas de toda a história, porque ele pode ser cruel, estúpido e cobarde. No entanto, no fundo, tudo regressa à sua infância e a maneira como ele foi “abandonado” pela sua família, por isso o leitor é forçado a sentir uma enorme compaixão para com Theon e a sua dor. A princípio, ele não é leal e não é de confiança e usa o facto de ter sido vítima para justificar mudanças de lados na guerra dos tronos. Depois, ele é severamente torturado e parece sofrer de Síndrome de Estocolmo, forçando o leitor (e espectador) a sentir mais uma vez uma compaixão profunda para com esta personagem. Neste ponto, parece que ele será incapaz de fazer seja o que for como se tivesse sido privado da sua própria humanidade e de alguma forma tornado em animal. Contudo, a série de TV evoluiu, e Theon decide fazer o que ele entende como certo e honrado e ajuda Sansa a fugir. Depois disso – e apesar de ele ainda ter alguns episódios de cobardice – ele acaba por libertar a Yara e luta pelos Stark.

Óregão é o óleo essencial da humildade e do desapego, eliminando a negatividade e removendo os bloqueios. É profundamente poderoso e poderia ter sido um assistente fantástico para Theon ao longo de toda a série. Poderia tê-lo ajudado a manter-se humilde, poderia tê-lo assistido a libertar-se da negatividade das suas feridas passadas, poderia tê-lo assistido na libertação dos apegos tóxicos que o estavam a impedir de desenvolver uma relação saudável com o Divino (que é basicamente todo o significado do que Bran lhe diz junto da árvore sagrada). O óregão teria resgatado Theon nas suas horas de necessidade.

 

Rickon Stark – Jojen Reed – Osha – Meera Reed

Apesar de se tratarem de quatro personagens diferentes e cada uma delas ter as suas particularidades, nós nunca os conhecemos verdadeiramente e o seu papel principal está relacionado com a missão de vida de Bran. Portanto, o óleo essencial que poderia assistir todos eles, seria Arbovitae! Conhecido como o óleo da Graça Divina, esta poderosa árvore assiste os indivíduos a confiarem no divino permitindo à alma que vida sem esforço mesmo por entre muitas tarefas e dificuldades. Arbovitae poderia assistir este grupo e terá sido provavelmente um dos aromas que eles sentiram enquanto caminhavam pela floresta em direção ao norte.

 

Hodor

De todo o grupo de resgate a Bran, Hodor é quem acaba por fazer o maior sacrifício cuja trágica história descobrimos durante a hora mais negra. Apesar de Hodor ter uma tremenda responsabilidade e ser incapaz de dizer algo mais do que “Hodor”, ele é geralmente muito alegre e possui um coração bondoso.

Basílico é o óleo da renovação, tratando a exaustão, trazendo força ao coração e relaxação à mente. Este óleo essencial trata nervosismo e ansiedade, apoiando as pessoas sob um enorme stress mental, que é o caso de Hodor. Só mais tarde na série descobrimos o que tornou esta personagem o Hodor que conhecemos e, nesse momento, torna-se ainda mais óbvio que o Basílico poderia ter sido servido esta personagem rejuvenescendo-lhe as forças vitais.

 

Lyanna Mormont

Esta é uma menina corajosa que representa o seu clã, uma Casa povoada por mulheres poderosas, uma casa de honra, apesar da história que ultrapassou. Eu gosto da Casa Mormont, visto que sempre gostei de Jorah e Jeor e todas as histórias relacionadas com esta Casa (que por si só davam um livro inteiro). Infelizmente, a maioria da Casa Mormont já não existe…

Mas esta espetacular jovem parece ter o poder das Rosas a seu lado, a gentileza do aroma combinado com os espinhos prontos a atacar (incluindo dizer o que tem de ser dito e que ninguém ousa pronunciar), revelando-a como uma líder destemida que incorpora totalmente a frase da Casa Mormont: “aqui estamos nós”.

 

Óleos Essenciais para a Casa Targaryen: fogo e sangue!

Óleos Essenciais para a Lannister: oiçam-me rugir!

 

Para apoiar o Skin at Heart, visite Donorbox ou Patreon. Descubra mais detalhes e vantagens de se tornar Patron do Skin at Heart aqui!

Deixar uma resposta