Entrevista com o Tantra Jedi Shaft Uddin

Eu tive o prazer de conhecer Shaft Uddin no Retiro de Kung Fu. O Shaft é um expert em Tantra com experiência considerável. Ele auto-intitula-se de Tantra Jedi e quando o conhecemos é fácil de compreender porquê, ele tem uma luz magnética e brilhante traduzida pela sua leve e agradável presença que irradia alegria. Para além disso, o Shaft tem também um sentido de humor acutilante que promove gargalhadas em todos os instantes. A entrevista na íntegra está publicada em inglês. Aqui, podem ler os pontos altos desta curiosa e interessante entrevista sobre o percurso de Shaft e o impacto da prática tântrica na saúde e bem-estar:

 

1 – Quando o teu propósito se tornou claro durante o teu Treino ISTA numa cave Havaiana, como é que foi essa experiência?

Foi uma ocorrência muito incomum: 20 seres humanos a serem levados para uma cave escura, todos xamãs treinados, não em medicina herbal, mas em sexualidade, usando a energia sexual em vez de alguma erva como ayahuasca ou peyote! Fomos então guiados para esta cave que possui uma erupção gigante muito idêntica ao órgão sagrado feminino, o yoni. E depois é-nos indicado para cultivarmos energia sexual da maneira que entendermos. Durante este processo, eu atingi um estado zen e tive uma epifania e, neste estado de vazio estas palavras percorreram-me: “cura os ricos para empoderar os pobres”. Esse tornou-se o meu propósito de vida. Foi muito claro nesse dia que era isso que eu tinha de fazer. Eu deixei o meu trabalho imediatamente após esta experiência, eu trabalhava com as maiores marcas do planeta, em Londres, na área da publicidade. E comecei a ir bater à porta de Estúdios de Yoga e perguntar se estavam interessados em aprender ou experiência Tantra. Foi uma mudança radical, de alguém que estava massivamente no mundo corporativo para alguém que se torna um trabalhador independente numa linha de trabalho extremamente incomum! Essa visão foi instantânea, como uma erupção! E era essa a direção que a minha vida necessitava para encontrar felicidade e paz interior.

 

2 – Como é que as pessoas podem encontrar o seu propósito de vida? Que ferramentas e/ou práticas e/ou hábitos e/ou atividades recomendas para atingir essa clarividência?

Não ouçam a vossa Mãe, não ouçam o vosso Pai, não ouçam os vossos amigos e, acima de tudo, não me ouçam a mim! (risos)

Portanto, quando se partilha o sonhos, aqueles sonhos mais incríveis, as pessoas mais próximas de nós vão dizer-nos para não o fazermos! Não porque tenham ciúmes ou algo assim, mas porque genuinamente se preocupam que estejamos a deixar algo muito seguro com o qual se conseguem relacionar para algo muito inseguro, onde as pessoas estão realmente a viver o seu propósito de vida, em vez de o propósito que os seus pais disseram para viver ou que a sociedade ditou.

Encontrar o teu propósito de vida é fazer aquilo que te faz feliz! É a coisa mais difícil que podes fazer, especialmente se vens de uma família rígida ou de um grupo de amigos rígido ou de uma cultura rígida, vai ser muito difícil libertares-te de todos os condicionamentos dessa situação.

Basicamente, a melhor maneira de encontrares o teu propósito de vida, é não escutares ninguém excepto o teu próprio coração.

 

3 – Quais são os teus hábitos de saúde? O quê que fazes para te manteres saudável?

Quando eu saí da “matrix”, eu tornei-me muito rígido na minha prática, muito duro comigo próprio, muito limitado na minha visão. Eu deixei um tipo de visão limitada para outro tipo de visão limitada dos condicionamentos do mundo espiritual tantra. Portanto, eu tornei-me muito rígido, praticava religiosamente de manhã, deixei todas as substâncias que ingeria, deixei os maus hábitos de dieta para me sentir mais leve e mais próximo da espiritualidade, blah blah blah. Depois, eu tive o meu segundo despertar (eu pensei que só tinhamos um, por isso o segundo foi um pouco mais duro, pois eu não sabia que ia acontecer) e agora estou-me a marimbar! Agora, eu bebo café e como o que me apetecer, faço o que me apetecer ou que sentir que me apetece. Não sou rígido comigo próprio. Se me apetecer até fumo um cigarro. Não sou viciado em nada. Eu era viciado em tudo, divertimento, drogas, bebida, fumar. Mas agora, eu fiz tanto trabalho para ser rígido e limpo que o pêndulo foi de um extremo ao outro e agora encontra-se no meio, em equilíbrio. Agora, eu sou verdadeiramente livre. A minha prática agora são coisas que eu gosto e das quais desfruto. Eu adoro fazer amor! Eu adoro dançar! Eu adoro cantar! Eu adoro comer! Mas eu também sei que eu gosto de me sentir saudável e de ter um aspecto sexy, por isso comer demasiado não me vai ajudar com isso. Se eu comer comidas vibracionalmente ricas, eu serei menos gordo. E eu gosto de já não ser gordo. Eu era gordo e requer muito esforço para voltar a ser como era, pois significa que terei de comer quantidades emoções e pouco nutritivas, pois não sou feliz. No meu ambiente, as bolhas tântrica, eu não tenho escolha, pois a comida é vegan, o que é excelente para mim e para a minha saúde. Ninguém bebe, ninguém fuma, não é um crime, mas no lugar onde a espiritualidade encontra o hedonismo, existe o tantra! Por isso, toda a gente se sente resolvida e numa vibração mais elevada do que a maioria das pessoas no planeta.

 

4 – Como podemos usar a sexualidade para nos mantermos saudáveis?

Esta é a chave para sermos jovens e saudáveis para sempre: energia sexual! Quando eu comecei a descobrir o Tantra, eu estava sempre a encontrar estas mulheres bonitas e poderosas. Eu achava que elas estavam na casa dos 30, mas – na verdade – elas estavam nos 50. E eu perguntei o quê que elas faziam para se manterem jovens e elas disseram que era Tantra, mas nessa altura eu não fazia ideia do que isso era. E, à medida que eu entrei neste tipo de pratica, eu conheci mais e mais pessoas e compreendi por minha própria experiência que usar esta energia e trazê-la para o nosso coração tem a capacidade de revitalizar todo o corpo. Mover o corpo vai mudar a maneira como a energia se move no corpo e abrir-te para ti próprio. A Shakira disse “as ancas não mentem” e é verdade! Quanto mais abertos nos tornamos, mais o nosso coração se abre e começamos a mover-nos de forma diferente, mais fluída. A prática de Ecstatic Dance é excelente para isto! Tornamo-nos totalmente expressivos, porque largamos a vergonha e a culpa e deixamos de estar presos dentro do nosso próprio corpo, passamos a vibrar a uma vibração mais elevada e a desfrutar de nós próprios e deste veículo de vida. Basicamente, tornamo-nos mais felizes!

 

5 – O quê que recomendas para pessoas que se estão a iniciar no Tantra? Em quê que se devem focar?

Visitem a minha página Sacred Sexual Awakening e inscrevam-se no meu programa (risos)

Se têm essa intenção, mantenham-na. Pratiquem! Vejam online, Hoje em dia há inúmeros recursos que podem ajudar, especialmente quando se está a iniciar essa prática. Mas, claro que não há nada, como ter Professores ou pessoas mais experientes que nos guiem nessa prática. Os recursos online são um bom ponto de partida para encontrar essas pessoas que nos podem assistir na nossa aprendizagem.

Recomendo Urban Tantra de Barbara Carella, uma das minhas professoras. A Layla Martin também tem imensa informação disponível.

As práticas devem consistir em: ecstatic dance, cantar canções devocionais e ir a festivais e workshops de tantra, aprender a conectarmo-nos com o nosso corpo, a amarmo-nos, a vermo-nos e admirarmo-nos na nossa essência, conhecermos pessoas. E, sobretudo, praticarmos diariamente essa conexão profunda conosco próprios.

 

6 – O que podemos fazer para honrar o Divino Masculino e o Divino Feminino?

Educação! Compreender, perdoar e aceitar esses aspectos em nós próprios é o primeiro passo. O que significa o Divino Masculino? O que significa incorporar o Divino Feminino? Primeiro temos de compreender o que isso significa para nós próprios!

 

7 – Gostarias de dizer algumas palavras sobre o Ciclo Menstrual das mulheres?

Eu acho que vocês mulheres são incríveis! Da próxima vez que vocês se sentirem insignificantes, não merecedoras, sozinhas, olhem para a Lua! E compreendam que a lua afecta a água neste planeta. O mundo e nós próprios somos feitos de 70% de água ou algo assim. A Lua tem uma relação gravitacional com a terra e afecta a água do planeta A terra e a lua estão ligadas ao sol, criando uma perfeita harmonia num universo maior, numa galáxia maior e assim sucessivamente! É exponencial! Mas homens, e mulheres, nós também somos 70% de água e afecta o ciclo das mulheres, o ciclo lunar feminino, o ciclo menstrual. Por isso, vocês estão ligadas à lua, à natureza, à galáxia inteira. Portanto, o vosso corpo está galaticamente ligado a todo o universo. Por isso, há uma sensação de honra no que toca à compreensão dos ciclos menstruais, sendo que existiam até tendas vermelhas para mulheres, por 5 dias nas comunidades tribais, onde era o seu tempo de desconexão e descanso mensal para se poderem conectar com o seu interior, com o seu yoni, com a sua sexualidade. Quando aprenderem a se conectar com o vosso yoni, a escutar esse órgão sagrado feminino, essa infinita sabedoria, deixarão de ter dores menstruais ou qualquer tipo de sintoma associado. Essas dores não deveriam existir de todo! Há uma razão pelas quais as mulheres têm esses sintomas e há uma razão pela qual as mulheres na minha comunidade não têm qualquer desses sintomas, pois elas estão totalmente conectadas com o seu corpo, com a fonte, com a natureza, com entidade galática que é o Universo através dos seus próprios úteros, onde a vida nasce. É algo apoteótico! (risos)

 

8 – Podes partilhar connosco qual a missão da Comunidade Consciente Coravida?

Coravida criada por James Coravida que tem uma Ted Talk sobre isto, a sua amada Zenith e eu próprio! Nós criámos a Coravida juntos há muitas luas na Costa Rica. É, basicamente, um centro de bem-estar inspirado em Arte e no Coração (He(art)), permitindo a saída da “matrix” e a criação da sua própria realidade, um lugar onde as pessoas vêm para se sentirem em casa consigo próprias, encontrarem o seu propósito, curarem o seu próprio coração. É um lugar lindíssimo, algo que está em constante crescimento e mudança e algo que todos deveriam fazer por si próprios: criar a sua própria realidade, o seu próprio ecossistema, criar o seu próprio sistema económico. Arriscar criarem aquilo que verdadeiramente querem. Tornem-se o vosso próprio deus ou deusa através da criação do vosso próprio sistema de crenças! A Coravida é uma crença! É algo que eu crio por onde quer que eu passo!

 

9 – Qual é a tua visão para o mundo? Como gostarias que as futuras gerações fossem criadas?

Basicamente, é aquilo que Gandhi disse “sê a mudança que queres ver no mundo”. É difícil! É a coisa mais difícil que alguma vez farás, porque ninguém gosta de mudança. Quando mudares, vais perder todos os teus amigos (risos) eu perdi todos os meus amigos.

Eu vejo-me a ensinar Tantra nas escolas. Já ensinam Meditação nas escolas, já ensinam Yoga nas escolas. Agora é necessário ensinar Tantra. Aí, tem-se liberação total. Aí tem-se seres humanos que não são criados em culpa e vergonha, tem-se pessoas que conseguem definir as suas fronteiras, expressar os seus desejos, que aprendem sobre consentimento, sobre consciência, sobre trazer consciência para a sua sexualidade e não medo, é vibrar em amor! Não é desconexão, é conexão! É intimidade!

 

Se quiser apoiar o trabalho do Skin at Heart, espreite Donorbox ou Patreon. Descubra mais detalhes e vantagens de se tornar Patron do Skin at Heart aqui!

Deixar uma resposta