Entrevista com Professor de Yoga Johnny Nasello

Johnny Nasello é um Professor de Yoga inspirador com vasta experiência, que é também Instrutor de Professores de Yoga. De facto, foi com o Johnny que eu estudei no Curso de Professores de Yoga no Ananda Yoga & Detox Center em Koh Phangan na Tailândia.

O Johnny é brilhante, não só por ser um excelente Professor com um conhecimento profundo dos temas que ensinas, mas também por viver de acordo com a filosofia do Yoga o que faz dele uma poderosa fonte de inspiração para os seus alunos. Foi uma honra estudar com o Johnny. Eu descrevi esta jornada nesta série de posts e, uma das coisas que mais ficou comigo, foi “Estas poses são metáforas para a maneira como vivemos a nossa vida”, o que aliado a “O nosso tapete de Yoga está sempre disponível para nós, só temos de ir ter com ele e dar-lhe uso diariamente.” são ideias muito fortes que impregnaram a minha mente e me deram resiliência naqueles dias em que mais precisamos dela!

Após completar o curso, eu ensinei algumas aulas e o feedback que recebi foi “As instruções são muito precisas e claras, eu pensei que já davas aulas há anos.” e o mérito é do Johnny Nasello e o Curso de Professores de Yoga que gere que é muito completo e profissional.

Enquanto eu fazia o curso, eu tive o privilégio de entrevistar o Johnny exclusivamente e, agora, aqui está o resto da entrevista:

 

1 – O quê que te atraiu no Yoga?

O Yoga foi propriamente o que me atraiu. Quando eu comecei a praticar yoga, eu também estava a fazer muitos treinos de pesos. Nos meus dias de descanso de treino, eu queria continuar ativo, então comecei a fazer yoga. Durante diversos meses, o meu interesse por yoga continuou a crescer até que gradualmente se tornou o meu foco principal.

Eu também descobri que quanto mais envolvido com o yoga eu me tornava, e quantos mais amigos fazia nas comunidades de yoga, mais parecia desfrutar da minha vida e das pessoas com quem passava tempo.

2 – Como é que o Yoga pode assistir na busca de saúde e bem-estar?

Eu acho que há muitos livros que cobrem este tópico. Eu vou passar esta pergunta, pois a minha resposta será apenas uma repetição das coisas que são sempre ditas dentro do tema.

3 – Numa das aulas tu disseste “Estas poses são metáforas para a maneira como encaramos a vida” algo que ressoou verdadeiramente comigo. Como é que o Yoga é mais do que aquilo que se faz na aula? Como é que o Yoga é uma forma de estar na vida?

Considerar o Yoga uma metáfora para a vida não é aparente à primeira vista. No início da nossa prática somos consumidos com as dificuldades das poses e qual o aspecto que têm com o nosso corpo em comparação com os outros na aula, ou com o professor.

Quando ultrapassamos isso, então começamos a entrar mais profundamente nos nossos processos de pensamento e a ganhar mais introspeção com esse trabalho.

Nós trabalhamos nas nossas poses, dia após dia, semana após semanas, mês após mês, ano após ano. Acostumado-nos ao esforço, as formas e as ações musculares tornam-se familiares, exploramos continuamente as barreiras físicas e as nossas emoções e pensamentos à volta das nossas limitações.

Podemos realmente beneficiar quando somos capazes de trazer essas mesma mentalidade para os nossos esforços diários. Alguns dias são melhores do que outros, temos de nos re-comprometer com o tipo de pessoa que queremos ser, ou continuar a ser, e nunca há um momento em que “ganhamos” ou em que se chega a uma “meta” ou em que “está acabado”.

4 – Há imensos desafios na estrada para a iluminação: quais são as principais características que alguém que deseje suceder no Yoga e na vida tem de apresentar?

Não ficar obcecado com tornar-se iluminado ou não se tornar iluminado. O nosso trabalho é descobrir aquilo que nos apaixona e depois preencher a nossa vida com o máximo disso possível.

 

 

Eu estou profundamente grata ao Johnny Nasello por esta entrevista para o Skin at Heart!

Se deseja apoiar o trabalho do Skin at Heart, partilhe este post nas suas redes sociais e visita a Página do Patreon do Skin at Heart!

Deixar uma resposta