Porquê que eu enveredei pelo Kung Fu explicado por músicas dos Pearl Jam

Eu comprometi-me com um Treino de Kung Fu. Quando eu visitei o Kung Fu Retreat pela primeira vez fiquei impressionada!  Pela primeira vez na vida, senti que um lugar poderia ter as ferramentas necessárias para me ajudar a desenvolver como ser humano quer fisicamente, quer mentalmente. Compreendi que a única pessoa que tem as respostas sou eu própria.

Como enorme fã dos Pearl Jam que sou, consigo ver de imediato pontos de contacto entre algumas das músicas que escutei durante toda a minha vida e o que atrai a maioria das pessoas para o Treino de Kung Fu. Vamos admirar alguns dos versos detalhadamente para perceber.

A primeira canção é Can’t Keep de Riot Act. Como Vedder canta:

“I’ve lived all these lives like an ocean in disguise

I won’t live forever, you can’t keep me here.”

Uma sensação que muitos de nós nas sociedades ocidentais experienciamos como se ao viver fossemos cada vez mais e mais afastados da nossa essência, do nosso potencial. Relembrar-nos que somos oceanos disfarçados é a chave e isso relembra-me aquela frase de Tennesse Williams:

“A prayer for the wild at heart locked in cages.”

 

Quando se sai da zona de conforto, a canção que me ocorre de imediato é a Life Wasted e as versões ao vivo da Wasted Reprise:

“I have tasted life wasted, I’m never going back again.

I have faced life wasted, I’m never going back again.”

 

Depois de se provar o potencial, não se quer voltar a viver uma vida sem sentido. Tal como nestes versos extraordinários que Eddie Vedder criou para a banda-sonora de Into the Wild com a canção Guaranteed:

“On bended knee is no way to be free.

Lifting up an empty cup I ask silently

If all my destinations will accept the one that’s me

So I can breath!”

 

E chegámos à Just Breathe cujo título fala por si próprio. Kung fu é sobre respirar, fluir com a nossa respiração. É como aprender a respirar novamente. Por isso demora tempo, trabalho árduo e prática para se sentir qualquer resultado e a chave é nunca parar de respirar e fazê-lo com consciência, por isso:

“Let’s just breathe!”

 

Por último, mas não menos importante, a canção I Am Mine cuja a poderosa letra canta assim:

“Me, I figure as each breath goes by

I only own my mind

North is to south what the clock is to time

There’s east and there’s west and there’s everywhere life

I know I was born and I know that I’ll die

The in between is mine

I am mine”

 

A chance de fazermos algo bom com a nossa vida está aqui e agora. Por isso vamos aproveitá-la! Vamos usar esta chance para nos tornar-mos mestres da nossa mente, mestres de nós próprios.

Escolher o Kung Fu é, basicamente, dizer não a atalhos. É dizer não a tempo desperdiçado. É trabalhar constantemente para desenvolvimento e melhoria pessoa. É fluir, é aprender a seguir o ritmo na dança cósmica da vida. Não é uma estrada fácil. Mas nenhuma que verdadeiramente vale a pena o é. É uma estrada onde temos de nos recomprometer a cada novo dia quando acordamos. Mas a prática traz resultados e é isso que eu estou aqui para vivenciar.

Deixar uma resposta