O que eu aprendi com o trabalho do espelho da Louise Hay?

Louise Hay foi uma mulher admirável que ajudou milhares de pessoas a tornarem-se felizes. Nas suas próprias palavras o que fazia era “de verdade, tudo o que eu faço é ajudar as pessoas a amarem-se a si próprias.” Todo o seu trabalho era baseado em amor-próprio e auto-aceitação. Uma das principais técnicas utilizados por Louise Hay era o Trabalho de Espelho. O Trabalho de Espelho basicamente consistia em olhar-se a si próprio no espelho e falar com essa pessoa. Por mais fácil que possa parecer, a relação que se tem com o espelho é habitualmente difícil, se não mesmo assustadora para a maioria dos seres humanos e a ideia de se falar e observar a si próprio no espelho, mais do que divertida é na verdade pavorosa.

Quando eu escutei sobre esta técnica, a minha primeira reação foi rir-me. Mas, depois, encolhi os ombros e pensei “Porque não dar uma chance a isto?” afinal ambos os livros de Louise que li continham muita sabedoria e foi através do site Hay House que eu ouvi pela primeira vez sobre o Dr. Joe Dispenza.

O Trabalho de Espelho é acompanhado por uma série de afirmações que se fazem diante do espelho. Louise Hay trabalhava com afirmações poderosas. Uma vez que as palavras têm uma vibração tão poderosa, o que quer que seja que coloquemos para fora no universo é metade do caminho para que se torne real, para que se torne uma realidade. E as nossas células, a nossa energia, apanha essa vibração, por isso devemos escolher cuidadosamente o que dizemos uns aos outros e, especialmente, o que dizemos a nós próprios. As afirmações que escolhemos terão de se adequar às necessidades particulares e lutas que estamos a enfrentar.

E a verdade é que o trabalho de espelho é muito mais poderoso do que alguma vez poderia ter imaginado. À medida que se começa a falar para si própria e se ultrapassa quer o lado engraçado da coisa, quer a dor/vergonha que vem com o processo, começamos a sentir-nos mais abertos, mais receptivos à vida. E, à medida que nos abrimos, é como se nos re-conectássemos connosco próprios verdadeiramente e começamos a sentir mais amor-próprio e auto-aceitação. Quando nos vemos como somos verdadeiramente e nos perdoamos, deixamos ir o que nos prende e criamos espaço para nos valorizarmos verdadeiramente e realmente conhecermos a pessoa que habita dentro da imagem refletida no espelho. À medida que essa ligação é re-estabelecida sentimo-nos mais leves e felizes. Sentimo-nos mais ligados com cada aspecto do nosso ser, como se um peso tivesse saído das nossas costas e um véu tivesse sido removido dos nossos olhos. Posso dizer honestamente que o Trabalho de Espelho de Louise Hay é a coisa mais importante que fiz por mim própria e recomendo-o a qualquer ser humano. O Trabalho de Espelho liberta-nos e coloca-nos face a – literalmente face a – nós próprios à medida que criamos espaço para bondade, aceitação, perdão, amor próprio e auto-valorização. E a melhor parte é que o espelho vai estar sempre ali para nós, só temos de pegar nele e olhá-lo!

 

 

Se deseja apoiar o trabalho do Skin at Heart, visite a página do Patreon para informação exclusiva e partilhe esse post nas suas redes sociais. Obrigada!

Deixar uma resposta