Entrevista com a Xamã Maria João Angélico

A Maria João Angélico  é não só minha prima, como é uma mulher admirável. O seu percurso de vida é impressionante e inspirador. A Maria João irradia misticismo, já desde que éramos adolescentes e tínhamos conversas intermináveis ao som dos The Doors.

Nesta entrevista exclusiva, o Skin at Heart teve a oportunidade de partilhar mais sobre o percurso da Maria João e de descobrir mais sobre Xamanismo e como essa arte ancestral pode assistir o indivíduo no processo de cura, crescimento e desenvolvimento pessoal.

 

1 – O que é o Xamanismo e como pode ajudar as pessoas?

O Xamanismo é uma filosofia que nos religa à natureza e nos relembra que nós humanos também somos parte dessa natureza. Preconiza que tudo o que existe está interligado numa rede maior, nada existe de forma isolada, tudo está conectado num grande sistema. É uma filosofia que podemos vê-la na forma de vida de muitas tribos que vivem em comunhão com a natureza e com um sentido muito apurado de comunidade.

O Xamanismo ajuda as pessoas a religarem-se à sua própria natureza, à sua essência, redescobrir o seu potencial, centrar-se nele e usá-lo para cumprir o seu propósito de vida e consequentemente para o bem maior de todo o sistema.

A mim, além deste encontro com a minha essência e potencial, ajudou-me a lidar com os meus medos e inseguranças, a saber estabelecer limites, a tornar-me mais auto-confiante, mais centrada, mais enraizada, a saber ocupar o meu lugar perante a vida e perante os sistemas onde estou inserida (lembrando que o nosso primeiro sistema é a família).

O Xamanismo permite-nos descobrir o sentido da vida, da espiritualidade através da natureza, dos quatro elementos, da Terra e de tudo o que aqui existe. Daí ser comum vermos imagens ligadas ao Xamanismo, de animais, ervas, florestas, rios, fogo, instrumentos de som que como tambores, maracas, etc (que emitem sons da Terra), que nos religam ao maravilhoso planeta em que escolhemos viver.

Um bom filme para compreender o conceito de Xamanismo é o filme “Avatar”, todo ele é assente nesta filosofia.

 

2 – O que te atraiu no Xamanismo?

Descobri o Xamanismo através de uma sessão de sons de cura que fiz com um amigo meu. Ele faz a sessão de uma forma muito intuitiva, sentindo a pessoa e então vai pegando e tocando os instrumentos que lhe fazem sentido. Nessa sessão comigo, puxava-lhe imenso para tocar tambor e sons terra e disse-me que havia algo de xamânico em mim e que me estava a chamar. Aquilo despertou-me um sentimento muito profundo, algo muito ancestral, algo que me devolvia um sentimento de voltar a casa. Foi aí que comecei a procurar e a pesquisar e o Universo levou-me a várias pessoas e locais que me iniciaram neste caminho. Mas essencialmente, é este sentimento de estar na “minha tribo”, de sentir que no fundo tudo é tão simples e que essa simplicidade tem uma força imensa, de sentir que a Mãe Terra nos acolhe e nos devolve tudo o que necessitamos para o nosso processo de aprendizagem e crescimento pessoal.

 

3 – Podes partilhar as experiências dos trabalhos mais importantes e gratificantes que realizaste até à data?

Dentro do Xamanismo o trabalho mais gratificante e que tem resultados fabulosos é a Sauna Sagrada ou Temazcal. É um trabalho em que construímos uma espécie de tenda com temperaturas elevadas e sem luz no interior para simular o útero da Mãe Terra. Aí dentro fazemos uma espécie de renascimento. É um trabalho que através da libertação do suor, ajuda a purgar males físicos, emocionais, mentais e espirituais.

Tem o propósito também de fazer um trabalho com o ego, pois as condições dentro da sauna exigem uma entrega e confiança no próprio trabalho que nos desativa completamente o controlo e nos leva a um limite e a uma grande profundidade de nós próprios. Por conseguinte permite-nos lidar com os nossos medos, fragilidades e trabalhar a nossa autoconfiança.

 

4 – Em que medida tens vindo a implementar os óleos nas tuas atividades? Que benefícios tens notado?

Comecei a usar os óleos no Verão de 2017 e tem sido um “bichinho” que tem vindo a crescer em mim e na família. O meu filho de 5 anos é fã e já conhece os óleos e a finalidade deles.

Tenho sentido os benefícios de várias formas. Este Inverno não tive problemas com gripes e constipações, uso frequentemente óleos que ajudam a reforçar o sistema imunitário. Más disposições, dores de cabeça, dificuldades respiratórias rapidamente são aliviadas com os óleos o que faz uma grande diferença ao nível do bem-estar. Utilizo na pele e cabelo e aplico-os nas minhas terapias e tenho tido um feedback muito positivo da parte dos clientes. Levo-os comigo na carteira para todo o lado, a qualquer momento são um recurso para mim ou alguém ao meu lado.

 

5 – De todas estas atividades quais as que aplicas na tua vida pessoal? Como é que estas filosofias contribuíram para mudar a tua vida?

Realizo trabalhos diversificados nesta área holística, Xamanismo, Astrologia Kármica, Reiki, Angeologia e Tarot. Todos têm feito parte do meu percurso pessoal e têm contribuído muito para o meu desenvolvimento pessoal. Assim como tenho observado a mudança e o desenvolvimento nas pessoas que recorrem a estes trabalhos.

Relembro quando iniciei o meu percurso nesta área, num curso de Terapia Espiritual, na época estava a exercer Engenharia Civil. Não me sentia realizada, sentia-me desadequada, simplesmente tinha entrado em piloto automático e não via outro caminho.

O curso de Terapia Espiritual iniciava com Astrologia Kármica e quando comecei a estudar e a aplicar na minha vida foi como se derrepente acordasse e percebesse que estava fora da minha essência, daquilo que me fazia sentir viva, que tinha outros potenciais e que a vida não tinha que ser só aquilo que eu estava a viver e que me estava a limitar, a entristecer e a fazer perder a minha energia vital. Aí tomei a decisão e despedi-me do meu trabalho, estando decidida a começar de novo. Foi uma sensação de liberdade indiscritível, como se me libertasse de umas correntes pesadas e visse novamente a luz ao fundo do túnel.

 

6 – Há mais alguma coisa que gostasses de partilhar com os leitores do Skin at Heart?

Abram-se à vida, desenvolvam uma atitude recetiva e não deixem que os medos e inseguranças vos cristalizem e não deixem criar movimento na vossa vida. Temos fragilidades? Sim. Reconheçam-nas, aprendam a lidar com elas e estão preparados para reconhecerem o vosso máximo potencial. Aceitem e abracem tudo isso, porque isso é o que são e canalizem essa energia de forma construtiva e sustentável para vocês e depois para o mundo.

Deixo uma frase que gosto muito: “Sigam os vossos sonhos, eles sabem o caminho….”

 

Se deseja apoiar o trabalho do Skin at Heart, visite a página do Patreon para informação exclusiva.

Deixar uma resposta