Entrevista com a Psiquiatra Ihuaku Ndukwe

A minha querida amiga Ihuaku Ndukwe é psiquiatra e trabalha na Noruega. Nesta entrevista, ela vai-nos dar uma visão geral de como a Terapia Cognitiva Comportamental funciona e porquê que a Aromaterapia pode ser eficaz. Eu falei desta questão no Skin at Heart anteriormente, graças às dicas que esta querida amiga me deu no tema. Podem ler esse post aqui.

 

1 – O quê que a atraiu para estudar psiquiatria?

Talvez soe um pouco genérico, mas desde que eu consegui ler que sempre me interessei e fascinei pela mente humana. O que nos faz fazer as coisas que fazemos, as nossas escolhas, o que nos faz agir da maneira que agimos, o que nos faz pensar da maneira que pensamos. Por isso decidi estudar psiquiatria. Eu não tinha a certeza se queria fazer uma carreira disso. O meu primeiro trabalho foi numa Enfermaria de Psiquiatria Aguda e foi aí que eu me apaixonei pela psiquiatria!

2 – Como é que a Terapia Cognitiva Comportamental funciona?

O principal foco é o pensamento automático. Por exemplo: se convidarmos alguém para jantar com um grupo de amigos e após a pessoa aceitar o convite, liga no último minuto a dizer que não pode ir: qual é o primeiro pensamento do anfitrião ou da anfitriã quando recebe as notícias? Será que pensa: oh esta pessoa não gosta de mim? Oh os meus planos de jantar não são suficientemente entusiasmante? Ou será que eu fiz algo errado que fez a pessoa cancelar? Este é um pensamento automático depressivo. As pessoas que pensam desta forma são mais propensas a sofrer de depressão.

Outras pessoas podem reagir à organização de um evento com pensamentos como “isto não vai correr tão bem” ou pensar demais no assunto e isto expressa ansiedade! Esta reação normalmente é vista em pessoas propensas a ansiedade e stress.

Uma reação saudável seria aceitar o cancelamento do convite e talvez perguntar à pessoa se está tudo bem. Em vez de internalizar a situação e fazê-la sobre o anfitrião ou anfitriã.

Os nossos pensamentos automáticos variam de indivíduo para indivíduo baseados nas nossas experiências de vida.

Existe um triângulo (que o Skin at Heart desenhou neste post) que compromete: pensamento, sentimento e comportamento. Basicamente esse triângulo mostra como o que nós pensamos, o que nós sentimos e a maneira como nos comportamos estão interligados e afetam cada um em todas as direções do triângulo. É tão básico quanto isso! O que nós pensamos afeta a maneira como nos sentimos, afeta a maneira como nós agimos!

A terapia cognitiva foca-se nos primeiros pensamentos (pensamentos automáticos) que sentimos quando ouvimos alguma coisa, sentimos alguma coisa, vemos alguma coisa, cheiramos alguma coisa. Quando os nossos sentidos são activados. Conforme mencionei anteriormente, os pensamentos automáticos variam de pessoa para pessoa baseados nos nossos próprios preconceitos, educação, experiência de vida, etc.

3 – Como é que cada um de nós pode aplicar isso nas suas vidas?

Eu uso isso na minha vida diária. Vou dar exemplos:

Esses pensamentos vão chegar automaticamente, então a primeira coisa a fazer em vez de agir com base neles e dar-lhes importância é: pensar diferentemente! Pensar nos factos e pensar naquilo em que se está a pensar, tomar consciência dos pensamentos. Se uma pessoa conseguir controlar o pensamento automático consegue controlar as coisas que acontecem à sua volta, pois a maneira como pensamos condiciona a maneira como vemos as coisas. É o poder dos pensamentos! E estamos de volta no triângulo:

Nós temos pensamentos, nós temos sentimentos, nós temos comportamentos. Todos estão relacionados: todos. Se mudarmos a maneira como pensamos ou a maneira como nos sentimos em relação a determinada coisa ou a maneira como reagimos a determinada coisa, fazemos mudanças incríveis!

4 – Qual é a relação entre a Aromaterapia e a Terapia Cognitiva Comportamental?

Então pode-se usar a aromaterpia para relaxar como se usam práticas de mindfulness ou hipnose. Para se conectar com o nosso eu e para se conectar com uma determinada emoção a um aroma. E uma vez que esta conexão esteja estabelecida, uma vez que se conecte o estado emocional a este cheiro em particular, ou uma vez que se associe uma determinada fragrância a alegria, sempre que sentirmos este aroma vamos efetivamente sentir-nos felizes. Estamos a condicionar novamente a maneira como pensamos, através da maneira como nos sentimos (cheiro) usando o triângulo que eu mencionei.

5 – Como é que as pessoas podem usar a Aromaterapia para o seu próprio apoio e bem-estar?

Eu pessoalmente não tenho experiência com aromaterapia. Mas muitos terapeutas usam a aromaterapia com os seus pacientes. Relacionar determinadas emoções com um aroma é algo que melhora o humor das pessoas e as suas emoções e, como tal, melhora padrões de pensamentos e comportamentos.

O olfacto é algo que ainda não estudamos muito na ciência moderna e, no entanto, existem diversos estudos em curso nesta área, porque sabemos que o aroma desencadeia uma série de memórias, igualmente boas e más. O olfacto é muito muito forte, muito poderoso e ainda temos muito a aprender com ele!

 

O Skin at Heart agradece a Ihuaku Ndukwe pela disponibilidade para esta entrevista esclarecedora sobre a eficácia da Aromaterapia com base na Terapia Cognitiva Comportamental.

 

 

Se deseja apoiar o trabalho do Skin at Heart, visite a página do Patreon para informação exclusiva.

 

 

Deixar uma resposta