Entrevista com a Fisioterapeuta Filipa Galvão

O Skin at Heart tem o prazer de entrevistar Filipa Galvão, uma fisioterapeuta com vasta experiência. Ao longo da sua carreira profissional, a Filipa tratou todo o tipo de problemas musculares, nomeadamente em atletas. Nesta entrevista, vamos compreender melhor o papel da fisioterapia no bem-estar.

 

1 – Quais são as principais maleitas que costuma tratar? Quais as principais causas desses problemas?

As principais maleitas que trato são lesões desportivas e dores na coluna, principalmente dores cervicais (pescoço) e lombares (fundo das costas). As causas podem ser várias, mas de grosso modo as lesões desportivas relacionam-se com a falta de aquecimento/arrefecimento, treinos autodidatas (em que a pessoa não procura acompanhamento adequado) e cargas excessivas. No caso das lesões da coluna, diria que – maioritariamente – são responsáveis o sedentarismo, as más posturas, o excesso de peso e o stress.

 2 – Qual o procedimento tipo ou tratamento adequado para curar ou sarar esse tipo de maleitas?

Em termos de fisioterapia o campo é muito vasto mas essencialmente a mão do fisioterapeuta, a termoterapia (quente/frio), a eletroterapia e o exercício adequado resolvem o problema na maioria das vezes.

3 – O quê que é necessário que as pessoas façam ou introduzam no seu dia-a-dia para estarem mais conscientes e prevenirem esse tipo de lesões?

Este é dos assuntos mais falados ultimamente e eu não vou dar nenhuma novidade, mas realmente é preciso reforçar a ideia de que a prática de desporto é essencial. Na minha opinião não existem desportos melhores que outros, mas sim diferentes. Quando os meus pacientes me perguntam que desporto deveriam praticar, tendencialmente aconselho o que mais se aproxima do problema específico, mas na verdade e em termos preventivos para a saúde em geral a pessoa deve praticar o desporto que gosta e lhe dá prazer para que seja viável a sua manutenção a longo prazo.

A questão da alimentação é outra conduta a adotar. Já existe alguma informação disponível nesta área e engane-se quem pensa que a alimentação saudável está apenas relacionada com peso corporal.

Para além disto, as pessoas devem deixar de adiar os problemas (a ideia de que “ah isto passa” ou “na internet: pôr gelo”). Muitas vezes quando me chegam ao gabinete aquilo que resolveria em uma ou duas sessões passou a ser complicado e já preciso de 10 a 15 sessões de tratamento, para além de que sofreram dores/desconforto naquele tempo, desnecessariamente.

Resumindo, procurem profissionais credenciados para se aconselharem ou tratarem antes de cometerem erros.

4 – Quais são as principais mudanças de comportamento ou hábitos que normalmente recomenda para melhoria das maleitas que costuma tratar?

Adotarem o aquecimento/arrefecimento no caso do desporto, alongamentos, reforço muscular específico, correcção postural, suplementos naturais e massagens terapêuticas ou desportivas regulares.

5 – Como é que os óleos essenciais podem assistir os fisioterapeutas e contribuir de forma eficaz para o bem-estar dos pacientes? 

Os óleos essenciais podem ajudar os fisioterapeutas em diversas áreas desde o bem-estar, a dor e inflamação. A Fisioterapia pode usar os óleos essenciais nas massagens e com resultados excepcionais, dependendo do tipo de massagem e o seu objectivo, assim depende a escolha do óleo essencial mais adequado. Em Aromoterapia através do difusor ou inalação nos casos que os pacientes têm dificuldades em relaxar, em que a sua patologia esteja associada ao stress, no tratamento de condições da pele como as cicatrizes e até nas patologias respiratórias tanto em pediatria como adultos. Os óleos essenciais são uma mais valia na área da Fisioterapia bem como da saúde em geral.

 

6 – Algumas últimas palavras que queira deixar aos leitores do Skin at Heart no que concerne a saúde?

A sociedade actual está muito virada para o efeito imediato (quer um comprimido/droga que trate/faça desaparecer o problema na hora) e a preguiça (existe algo ou alguém que o possa fazer por mim?!). Na minha opinião – e ressalvo que isto é muito pessoal – não há coisa fácil e que a factura mais cedo ou mais tarde não seja a dobrar. Adotem comportamentos saudáveis, procurem suplementos naturais, em vez dos químicos, e  previnam em vez de remediar. Façam desporto, comam “BEM” e sejam felizes.

Aproveito para felicitar a Skin at Heart pelo trabalho desenvolvido até aqui bem como a informação útil que disponibiliza aos seus leitores. São muito necessárias “pessoas” assim, que dispõem de si para uma sociedade melhor.

 

 

O Skin at Heart agradece à Filipa Galvão pela disponibilidade para esta esclarecedora entrevista que nos ajudou a compreender melhor alguns cuidados a implementar na rotina diária para contribuição do bem-estar geral do corpo.

 

Se deseja apoiar o trabalho do Skin at Heart, visite a página do Patreon para informação exclusiva.

Deixar uma resposta