Como Evitar o Jet Lag

Jet Lag é algo que quem viajou de avião para destinos longínquos do lugar de origem poderá já ter experienciado. Os sintomas mais comuns de jet lag são: fadiga, sonolência, indigestão ou tonturas.

O ciclo circadiano é de 24h e é influenciado pela percepção da luz. Ao anoitecer, a retina recebe menos luz e, consequentemente, a glândula pineal produz menos melatonina, a hormona responsável pelo sono que controla também a secreção de insulina, a hormona que produz glicose (fonte de energia). O que pode acontecer durante a viagem devido a esta interligação é cansaço/fadiga e também problemas a nível digestivo. Para além disso, a melanina está também diretamente ligada às hormonas de bem-estar que, quando não são produzidas conforme deviam, provocam um aumento de cortisol, a hormona ligada ao stress.

Então, como minimizar todo este processo e ajudar o corpo a adaptar-se à transição do fuso horário da melhor maneira possível?

O melhor truque para minimizar ou evitar o jet lag é adaptar-se ao horário local no avião ou nos dias anteriores à viagem. Se chegar a um destino de manhã ou a meio do dia, quando seria noite na origem, faça por dormir no avião para minimizar essa mudança e depois só volte a dormir no horário nocturno já do lugar de destino.

Para conseguir dormir no avião recomendo:

– Utilizar óleo de Lavanda (cheirar durante 20 a 30 segundos e/ou aplicar uma gota nas têmporas);

– Levar óculos escuros ou uma máscara para a luz em caso de necessidade (embora a maioria dos voos nocturnos de longo curso apaguem todas as luzes na cabine em dado momento);

– Levar uma almofada em U, das mais indicadas para dar apoio ao pescoço e dormir quando se está sentado;

– Levar fones ou tampões para os ouvidos para evitar que os ruídos perturbem.

O único sintoma de jet lag que alguma vez experienciei foi tonturas leves, quando viajei da Europa para a Ilha da Páscoa, com saída de Paris pelas 11h da manhã, escala de 2h em Los Angeles, chegada a Tahiti às 22h hora local, escala de 5h para seguir para a Ilha da Páscoa onde cheguei à hora de almoço do dia seguinte. Usei a tarde para passear e admirar as maravilhas de Rapa Nui, de modo a acumular o cansaço e ir dormir na noite do horário de destino. Ao deitar-me apercebi-me que via tudo a mexer e constatei que essas leves tonturas eram um dos efeitos de jet lag, que ainda se fez sentir no dia seguinte. Quando acordei, utilizei o óleo essencial de Limão para eliminar esse sintoma.

O óleo essencial de Limão é adequado quer para tonturas, quer para enjoos por movimento (que também cheguei a usar num barco) e foi um bom apoio para ultrapassar o jet lag. Basta cheirar o óleo diretamente do frasco para atenuar os sintomas e/ou eventualmente ingerir uma gota de óleo (certifique-se de que a marca de óleos essenciais que utiliza é passível de ser ingerida).

Se também sofre de ouvidos tapados devido à diferença de pressão causada pelo voo, os óleos essenciais são um aliviador natural precioso e dedicarei um post a esse tema no futuro.

Outro truque importante é não exagerar na comida e bebida ao longo do voo. Comer o mínimo e beber, preferencialmente, água mineral para apoiar o organismo a adaptar-se à mudança.

Para as melhores dicas de viagem nada como o Tips2Trips que tem sempre as últimas promoções disponíveis para quem quer viajar de Portugal ou da Europa para o resto do mundo. O Tips2trips é muito fácil de consultar e usar e está sempre atualizado com todo o tipo de pacotes promocionais de viagens. Eu adoro e recomendo!

Boas viagens!

Deixar uma resposta